O que são embalagens flexíveis e porque utilizá-las?

O que são embalagens flexíveis e porque utilizá-las?

Inovadora, atraente e funcional são apenas algumas das características essenciais de embalagens para alimentos se destacarem no ponto de venda e seja adquirido pelo consumidor.

Ao escolher o tipo de embalagem ideal, deve-se levar em consideração o material de fabricação, quais as necessidades de armazenamento em prateleiras, acondicionamento para transporte e manipulação do consumidor, além da aplicação da marca e informações técnicas no rótulo.

Nesses pontos, as embalagens flexíveis apresentam grande versatilidade para diversos tipos de produtos. Conheça as vantagens de utilizá-las em seus produtos.

O que são embalagens flexíveis?

Como próprio nome já diz, a definição de embalagem flexível é a sua capacidade de se adaptar ao formato do produto e garantir condições de segurança como proteção de luz e outros agentes externos no transporte, além da otimização de armazenamento.

Até a década de 1960, o plástico celofane era o principal material utilizado para fabricação de embalagens flexíveis e, hoje, a indústria oferece uma diversidade de filmes plásticos que permitem a impressão da identidade visual em rótulos.

O principal método utilizado é a flexografia, uma espécie de carimbo que utiliza uma chapa em relevo emborrachado chamado clichê. Esse tipo de impressão tem como principais características a qualidade, o baixo custo e a alta tiragem, ou seja, a possibilidade de se produzir quantidades maiores.

Quanto a resistência, a união de dois tipos de filmes flexíveis na fabricação fará toda a diferença para o armazenamento e envase do produto, já que um destes estará em contato direto com ele.

Vantagens das embalagens flexíveis

A versatilidade é a principal delas, já que uma infinidade de produtos alimentícios, de higiene, cosméticos, medicamentos e rações podem ser visualizados, carregados, armazenados, abertos e consumidos facilmente.

No caso de embalagens flexíveis para alimentos é a maleabilidade, ou seja, a capacidade de acondicionamento do conteúdo, já que ela se adapta ao estado físico do produto, seja ele líquido ou sólido.

A segurança alimentar é outro ponto fundamental que é coberto, pois esse tipo de embalagem possibilita isolar o produto de umidade, calor, luz, bactérias e outras formas de contaminação. O uso de zíper e válvulas de segurança, por exemplo, contribui para maior segurança ao acessar o conteúdo pelo sistema “abre e fecha” da embalagem e também reduzindo desperdícios.

Pensando no design de embalagem, as possibilidades para criação de layouts inovadores e aplicação da marca, seja impressa diretamente ou com um rótulo adesivo, por exemplo.

Tipos de embalagens flexíveis

• Laminadas – combina camadas de filmes. O plástico externo, por exemplo, tem maior diversidade de cores e metálico interno, em contato com o produto, auxilia na proteção.
• Fosca – outra possibilidade de revestimento externo com acabamento opaco.
• Transparente – pode ser utilizada combinada para armazenar o produto dentro de caixas, latas e etc e possibilita a visualização do conteúdo.
• Metalizada – comum para alimentos que não podem entrar em contato com a luz, garantindo suas características originais e melhor prazo de validade
• Microperfurada – utilizada para manter alimentos frescos por mais tempo, como legumes, hortaliças e pães.

Gostou dessas opções? Para te ajudar na sua escolha, saiba como garantir a segurança alimentar através das embalagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *