Persona: O que é e como criar a sua

Persona: O que é e como criar a sua

Você já sabe o que é uma persona e como criar a sua?

Se você deseja entender melhor o seu cliente, aumentar suas vendas ou lançar um novo produto, deve considerar criar uma persona.

Isso porque é para a persona que todas as suas ações e estratégias devem estar voltadas.

É fundamental também que você não confunda persona com público-alvo. Vamos explicar isso neste artigo também.

Acompanhe conosco:

O que é persona?

Basicamente, persona é um personagem fictício criado através de dados e pesquisas que representam o seu cliente ideal.

Ela é baseada em informações reais sobre o comportamento e características demográficas daqueles que já são ou podem ser seus clientes.

A persona tem nome, idade, motivações, objetivos, sonhos, dores, desafios e preocupações. Além disso, ela possui uma mini biografia.

É importante salientar: não faça a persona baseada em “achismos”.

Ela é criada com base em dados do público que sua empresa quer alcançar.

Com a persona criada você terá uma ideia mais clara de quem são realmente seus potenciais clientes, quais são seus objetivos, seus desejos e suas dores, podendo assim oferecer soluções mais adequadas às suas realidades.

Sem contar que você consegue encontrar um tom de voz ideal para falar com seu público, sabendo até que cores usar na sua identidade visual, quais os traços e imagens mais atraentes, entre outras estratégias mais assertivas.

Mas qual a diferença entre persona e público-alvo?

Apesar de serem conceitos parecidos, persona não é sinônimo de público alvo. Por isso, este ponto merece muita atenção:

Público-alvo

É uma representação mais ampla e geral das pessoas que você quer atingir.

São todos os seus potenciais clientes, sem exceção.

Um exemplo de público-alvo seria:

 

“Mulher, de 35 a 45 anos, classe média, casada, mora no interior de São Paulo. É formada em administração, trabalha em uma empresa de porte médio, mas está em busca de novas oportunidades de trabalho.”

 

 

Persona

Já a persona foca mais no detalhe desse público-alvo.

Ou seja, além de dados geográficos e sociodemográficos, apresenta outros critérios mais específicos.

Um exemplo de persona seria:

“Geovana, mulher de 28 anos, classe média, solteira, brasileira, mora no interior de São Paulo, em Araçatuba. É formada em administração, trabalha em uma empresa da área jurídica, mas busca recolocação profissional. Gosta de cozinhar e tem vontade de se dedicar mais a isso. Nos finais de semana, sempre convida os amigos para sua casa e prepara o lanche para todos. Gosta muito de festas e baladas. Não compra produtos muito caros, mas prefere investir mais dinheiro se o material for de qualidade. Ela é divertida e engraçada e adora estar com seus amigos.”

 

 

Como criar a sua persona?

Uma forma de criar a sua persona seria fazendo perguntas ou uma entrevista com seus atuais clientes. Assim você evita “achismos” e tem informações mais assertivas.

Caso você ainda não tenha clientes, é possível fazer essas entrevistas ou questionários com pessoas que você acredita ser seus potenciais clientes. Essas questões farão você confirmar se as pessoas que você acredita que possam ser seus potenciais clientes de fato são.

Outra forma de coletar informações sem ter clientes é publicando conteúdo do seu nicho em suas redes sociais. Você pode analisar quem interage com você acompanhando o comportamento dessas pessoas: o que eles publicam, como usam as redes sociais, o que curtem, entre outras coisas.

Com essas informações coletadas, você pode começar a estruturar a sua persona.

Vamos sugerir aqui alguns tópicos com as características da persona para você preencher e montar sua:

  • Nome:
  • Idade:
  • Profissão:
  • Empresa que trabalha:
  • Hábitos:
  • Hobbies:
  • Frustrações:
  • Desafios:
  • Crenças:
  • Estilo de vida:
  • Hábitos de compra:
  • Quais mídias que mais utiliza:
  • É influenciado(a) por quem:
  • Quais tipos de tecnologia usa:
  • Onde busca informação:
  • Critérios para decisão da compra:
  • Mini biografia:

Lembrando que você pode ter mais de uma persona, se julgar necessário.

E você, já criou sua persona? Está com alguma dificuldade?

Entre em contato conosco que podemos te ajudar!

Abraço e até o próximo post!

Embalagem para hambúrguer: o que analisar antes de escolher a ideal para minha hamburgueria?

Embalagem para hambúrguer: o que analisar antes de escolher a ideal para minha hamburgueria?

Uma boa embalagem é aquela que consegue transmitir o quão delicioso é o seu conteúdo só de olhar para ela. Logo, você precisa estar atento para escolher a melhor embalagem para hambúrguer.

Seria um erro para quem tem uma hamburgueria pensar somente na receita do lanche e esquecer da embalagem, sendo que ela é a responsável por conservar o produto, manter a integridade, o frescor e temperatura ideal, além de interferir diretamente no sabor do hambúrguer.

Sem contar o momento de degustação do alimento. Uma boa embalagem é aquela projetada para que consigamos pegar o hambúrguer com facilidade na hora da degustação, que evita sujeiras, que mantenha a identidade da hamburgueria, e que mantenha a qualidade do produto.

Pensando nisso, resolvemos trazer este post que irá explicar desde questões relacionadas ao design da embalagem até os melhores materiais a serem utilizados.

Mas antes de iniciar, precisamos deixar claro que uma hamburgueria precisa normalmente de 3 tipos de embalagens:

– Para consumir no local;

– Para levar para viagem;

– Para delivery;

Consideradas as embalagens para estas 3 situações, temos que analisar mais alguns tópicos. São eles:

Identidade visual do negócio

Identidade visual é a construção de elementos gráficos e visuais com o objetivo de comunicar o conceito, os valores e o posicionamento da sua hamburgueria para o público.

Sendo assim, além da necessidade de ficar atento ao material da embalagem, você precisa garantir que o design e a parte gráfica das embalagens estejam mantendo a identidade visual do seu negócio.

Com isso, o seu negócio se torna mais reconhecido e fica na mente dos seus clientes.

Relacionado: Identidade visual: entenda o que é e qual a importância dela para seu negócio

Qualidade do produto

Não adianta a embalagem ser bonita se ela não conservar o hambúrguer e o mesmo ser entregue em más condições, certo?

Por isso, é necessário que você avalie bem os materiais da embalagem, garantindo a manutenção do sabor do produto e a temperatura ideal, além, é claro, de verificar se o material é de fato higiênico para transportar alimentos.

Compromisso com o meio ambiente

Além de fazer a sua parte preservando o nosso planeta, oferecer embalagens sustentáveis pode influenciar ainda mais a percepção de valor que seus clientes terão em relação à sua hamburgueria.

Isso porque os clientes estão considerando cada vez mais fatores sustentáveis no momento de escolher em que estabelecimento farão sua refeição, por isso a necessidade de se atentar a esse ponto.

Dito isto, vamos analisar agora os tipos de embalagens para hambúrguer.

E quais são os tipos de embalagem para hambúrguer?

Caixinhas de papelão

Este modelo está se tornando o mais tradicional e você talvez já conheça. É ideal para serviço de delivery, pois protegem o alimento durante o trajeto, evitando que ele se espalhe e perca seu formato original.

Sacos de papel

Para consumo no local, os sacos de papel podem ser uma boa opção. Isso porque ele facilita a degustação e acaba até substituindo os guardanapos, além de evitar que o hambúrguer seja pego diretamente com a mão, tornando a refeição mais prática e higiênica.

Papel manteiga

Este é aquele material que envolve e protege o lanche, sem deixar que os ingredientes fiquem grudados na embalagem. Redes como Burguer King e Bob’s utilizam o papel manteiga. É possível que você o personalize com sua identidade visual. Além disso, ele também substitui guardanapos e facilita a degustação do alimento.

 

Com estas informações certamente você já sabe o que analisar antes de escolher a melhor embalagem para sua hamburgueria, não é mesmo?

E lembre-se, qualquer dúvida, entre em contato conosco.

Que tal um bate-papo sem compromisso?

Curtiu esse conteúdo e quer saber mais sobre? Então leia também este post blog: Conheça a importância e as funções da embalagem de produto.

Forte abraço e até o próximo post!

Qual a melhor embalagem para delivery de marmita? Dicas para você fazer a escolha certa no seu negócio!

Qual a melhor embalagem para delivery de marmita? Dicas para você fazer a escolha certa no seu negócio!

Tão importante quanto se preocupar com o conteúdo, é ficar atento à embalagem do produto. E quando se trata de embalagens para delivery de marmita, isso não é diferente.

Uma boa embalagem faz você se diferenciar da concorrência, além de garantir a qualidade do alimento que você está entregando.

E sendo um fator importante no ramo das marmitas, a embalagem deve ser escolhida com antecedência. Uma escolha errada neste momento pode ser prejudicial em vários aspectos, logo, é preciso ter cuidado.

Foi por isso que decidimos trazer este conteúdo recheado de informações e dicas para lhe ajudar a escolher a melhor embalagem para delivery de marmitas.

Acompanhe até o final:

Por que é importante escolher a melhor embalagem?

Em primeiro lugar, vamos pensar juntos como funciona o serviço de marmita e a forma de consumo.

Normalmente quem consome marmitas está no trabalho ou fora de casa, por isso precisa de algo rápido, prático, nutritivo e barato para se alimentar.

Caso você tenha uma embalagem de má qualidade, isso pode resultar na entrega de comida fria para o consumidor. Sem contar que, durante o transporte, todo o conteúdo da marmita pode ficar embaralhado e você acaba entregando uma refeição nada apresentável.

Além de deixar o consumidor insatisfeito, essas situações são prejudiciais para a empresa. Uma comida fria e entregue de forma desorganizada passa a sensação de que ela foi feita “de qualquer jeito” e que a empresa não liga para a qualidade do produto.

Por isso é importante escolher uma embalagem que seja de qualidade e mantenha a comida quente e intacta. Isso passa credibilidade para o seu produto e o consumidor estará certo de que fez uma boa escolha comprando a sua marmita.

Como definir o tamanho e o formato ideal da embalagem?

Após entender a importância da embalagem, definir o tamanho será a primeira etapa para fazer uma boa escolha.

Neste caso, você precisa considerar a quantidade de alimento que será acomodado na marmita.

Serão refeições para uma pessoa? Para duas ou mais? Escolha de acordo com a sua realidade.

Existem diferentes formatos e tamanhos de marmita: Quadrados, retangulares, redondos, entre outros.

Se o alimento for líquido, é recomendável que você escolha embalagens redondas para garantir a segurança durante o transporte. Também é importante ter o cuidado para que a marmita não fique muito cheia e ocorram vazamentos de comida.

Como escolher o melhor material e o modelo da embalagem?

São inúmeros os tipos de material e de modelos para embalagens que você terá para escolher. Cada um deles pode ser ideal para diferentes tipos de alimento.

A seguir, vamos deixar alguns exemplos:

Embalagens de alumínio

A embalagem de alumínio é a mais tradicional de todas e costuma ser a mais barata. Existem os modelos com tampa de papelão, tampa com plástico e com divisórias.

Uma desvantagem da embalagem de alumínio é que, se você segurar o alimento por baixo, corre o risco de queimar a mão. Elas também costumam ser mais difíceis de lacrar.

São mais recomendadas para entregas em menores distância, pois elas não têm a capacidade de conservar o alimento quente por muito tempo.

 

Embalagens de isopor

Apesar de serem um pouco mais caras que as embalagens de alumínio, as embalagens de isopor têm a capacidade de manter o alimento quente por mais tempo, além de serem mais resistentes e não queimarem a mão quando seguramos por baixo.

Essas sim são recomendadas para entrega em longa distância.

Existem as embalagens de isopor comum e alguns modelos com divisória.

 

 

Embalagens de plástico

As embalagens de plástico polipropileno são uma ótima opção para quem vende marmita congelada, pois elas podem ser levadas ao micro-ondas.

Mas lembre-se, é importante verificar se as embalagens possuem um triângulo com o número 5 e as letras PP na parte inferior. Essa indicação significa que o plástico é polipropileno e não libera toxinas ao alimento, além de gerar menos prejuízo ao meio ambiente e ser reciclável.

 

 

Bônus: Fique atento ao custo benefício

Você precisa definir um bom planejamento para que seu negócio seja lucrativo e prospere a longo prazo. Logo, é preciso ter uma boa estratégia para definição de seu custo benefício.

Não pense somente em economizar escolhendo a embalagem mais barata, ofereça algo personalizado. Isso além de proporcionar um produto de qualidade, lhe fará diferente da concorrência.

Em contrapartida, não escolha algo muito caro que deixe seu preço fora do padrão.

Nessa hora, o equilíbrio será importantíssimo.

Agora que você já sabe:

– A importância das embalagens;

– Como definir o tamanho e o formato ideal;

– Conhece os materiais e os modelos;

– Sabe que precisa se atentar ao custo benefício;

Fica bem mais fácil escolher a melhor embalagem para delivery de marmitas, não é mesmo?

Se ficou com alguma dúvida, deixe para gente aqui nos comentários.

E não vá embora já, para que você entenda ainda mais sobre o assunto, recomendamos este post sobre porque identidade visual e branding são importantes para sua empresa.

Esperamos que esse conteúdo faça sentido para você!

Um abraço e até a próxima!

Embalagens para delivery: 5 dicas para acertar na escolha

Embalagens para delivery: 5 dicas para acertar na escolha

Os restaurantes estão, cada vez mais, aproveitando os benefícios de vender delivery. A entrega a domicílio inclusive já superou esse ramo de alimentação e está alcançando farmácias, lojas virtuais, supermercados e outros tipos de empresas. Neste artigo, o nosso foco é nas embalagens para delivery considerando justamente os alimentos.

Essa embalagem exige cuidados especiais por parte da sua empresa já que ela é a sua marca entrando na casa do cliente. A peça deve ter qualidade, resistência e utilidade, o que ainda ajuda a gerar valor ao seu produto e serviço.

Confira 5 dicas essenciais para acertar na escolha de embalagens para delivery.

Pensar no material

A entrega de comida precisa de embalagens seguras, e a seleção do material para esses pacotes faz parte disso. Existem opções de materiais e formatos que já estão popularizados e bem aceitos no mercado, a exemplo das caixas e potes de isopor, caixas de papelão, sacola de papel kraft, bandeja de alumínio, plástico como recipiente e também como sacola, entre outros.

Uma dica para escolher qual é o mais adequado como embalagem para delivery é conhecer bem quais são os produtos que você vai entregar e qual material vai estar mais alinhado a isso.

Ter opções

Dependendo do que o seu restaurante vende, um único tipo de embalagem não vai ser o suficiente e nem o mais adequado. Um exemplo muito simples é que, além de entregar a embalagem de modelo marmitex (recipiente), também pode ser necessário incluir uma sacola de plástico ou papel para levar talheres, guardanapo e a bebida que fazem parte do pedido.

Quando encomendar embalagens para o seu delivery, avalie isso e procure ter opções para fazer entregas com sucesso e comodidade para seus clientes.

Garantir a proteção

É indispensável que as suas embalagens garantam a proteção dos alimentos desde a saída do restaurante até o consumo. Elas devem ser resistentes para não amassar ou quebrar durante o transporte, além de contar com proteção térmica e contra umidade e formas de lacrar a embalagem, que pode ser feito também com um adesivo.

Pratos com molhos não se adequam com as embalagens de papel, assim como o plástico é dispensável para sanduíches e outros alimentos mais “firmes”. O quesito de proteção deve avaliar isso.

Encontrar um bom fornecedor

As embalagens para delivery serão necessárias para todos dias do seu trabalho com entregas de comida, logo isso será uma compra recorrente. Encontrar um bom fornecedor é interessante para garantir essa compra com um bom custo-benefício e com a recorrência necessária. Deixar de entregar seus pratos por falta de embalagem vai representar um sério problema de logística e também de lucro.

O fornecedor ideal também será aquele que tiver mais opções e formatos adequados ao seu negócio. Se considerar ainda a próxima dica deste texto, será perfeito!

Personalizar

Como já mencionamos, a embalagem para delivery é especial pois representa a sua marca dentro da casa do cliente. Esse objetivo só será atingido com as embalagens personalizadas, com a devida aplicação da sua marca, com nome da empresa, logotipo, contatos e outros elementos que vão trabalhar sua divulgação, lembrança e fidelização.

O design de embalagens vai agregar valor ao seu produto. Sua marca pode ser impressa ou gravada diretamente sobre a embalagem ou aplicada com adesivos ou rótulos. Isso deve ser avaliado com um designer e com o seu fornecedor de embalagens.

Se quiser produzir embalagens para delivery personalizadas ou qualquer outro tipo de embalagem para alimentos, entre em contato com nosso time de designers especialistas.

5 cuidados com as embalagens personalizadas para alimentos

5 cuidados com as embalagens personalizadas para alimentos

Quem vende alimentos, sejam frescos, caseiros ou industrializados, tem que se preocupar com a entrega desses produtos – ou seja, com as embalagens personalizadas para alimentos. Mesmo os proprietários de restaurantes podem passar por essa necessidade quando consideram atender no mercado de entregas em domicílio.

Por entrarem em contato com o alimento, essas embalagens devem atender aos conceitos de segurança alimentar e, ainda assim, serem úteis e atrativas. A personalização é uma das últimas necessidades a considerar, mas ainda assim importante e necessária para fortalecer sua marca.

Conheça agora 5 cuidados para escolher e utilizar as embalagens personalizadas para alimentos.

Proteção

Muito importante para qualquer tipo de alimento ou refeição. O produto deve estar protegido durante toda a logística de distribuição e venda, seja contra impactos, vazamentos, contaminações, umidade ou qualquer outro risco. As embalagens são responsáveis por essa proteção quando são feitas no tamanho e materiais adequados, considerando também se são esterilizadas e podem entrar em contato direto com comida.

Capacidade

Elemento que está relacionado ao tamanho da embalagem. Isso vai variar muito conforme as especificidades do produto, entre líquidos, congelados, embalados à vácuo, grãos, in natura e afins. No caso dos restaurantes, especificamente, é interessante ter uma ideia de tamanho médio dos pratos e considerar sua embalagem personalizada a partir disso.

Geralmente, esse ponto é melhor alinhado com um fabricante e distribuidor de embalagens. Pode ser o caso, também, de procurar um designer de embalagens para fazer o projeto e já levá-lo a um fabricante de confiança.

Isolamento térmico

Tanto os produtos congelados como as entregas de refeições prontas compartilham essa preocupação. O isolamento térmico é obtido com o uso de materiais específicos, como isopor, alumínio e alguns tipos de plástico (veja a seguir). Cabe avaliar se as embalagens prontas vão atender às necessidades do produto e também se permitem a personalização. Capacidade e segurança são ainda mais necessários nesses casos.

Material

É essencial ter cuidado na escolha de materiais considerando alguns pontos que já falamos aqui, como a segurança alimentar, a resistência para proteção dos produtos, capacidade de conservação, preservação da temperatura.

As embalagens de alimentos podem ser fabricadas – e depois personalizadas – em vidro, diferentes tipos de plástico, papel e papelão, metal, isopor e até madeira, no caso de embalagens mais externas. Cabe observar também se o produto será embalado com uma única “camada” ou se necessita de mais películas para garantir a conservação. Outro ponto na questão de materiais é garantir que elas tenham – ou possam – receber um selo do tipo lacre.

Personalização

É o momento do design de embalagens, que pode ser aplicado desde a fabricação das peças ou então como um rótulo plástico ou adesivo em embalagens já prontas. A personalização é a aplicação da identidade visual de sua empresa e do produto, ou seja, aplicação da marca. É o cuidado estético que também está muito ligado ao valor do produto e sua divulgação.

As embalagens devem ser bonitas e práticas, dentro do objetivo de se comunicar com o mercado e um público específico. Não considere a personalização como uma vaidade! Ter sua marca estampada no que é vendido é um trabalho de divulgação e fidelização junto aos clientes.

Esses cuidados com as embalagens personalizadas para alimentos devem estar em mente desde o planejamento até a execução das peças para sua empresa. Se quiser ver ideias e exemplos práticos de embalagens para alimentos, conheça o portfólio da BST! Design.

Um grande abraço e até o próximo post!

Como fazer embalagens para marmitex personalizadas?

Como fazer embalagens para marmitex personalizadas?

Seja para um serviço delivery ou para fornecer para supermercados e pontos de vendas especializados, as embalagens para marmitex ajudam a garantir um alimento fresco, seguro de acordo com as normas de segurança alimentar e sem danos durante o transporte.

A resistência e a durabilidade da embalagem estão relacionadas ao tipo de material de fabricação e ao formato do vasilhame. Porém, cada tipo de alimento, condição de armazenamento e forma de entrega exigem embalagens personalizadas. Como exemplo, embalagens para comida congelada dispostas em freezer exige diferentes condições de um alimento servido quente e para consumo imediato.

Continue lendo este artigo e entenda como fazer marmitex personalizadas e acertar na sua escolha de embalagem para cada tipo de alimento.

Customizar ou personalizar: eis a questão

Podemos pensar em dois tipos de embalagens: as personalizadas, onde o modelo já vem pronto e no qual são inseridos lacres, adesivos ou mesmo acompanhadas de folhetos com informações sobre a marca e produto, e as customizadas, as quais você cria, desde o início, todo o projeto de design de embalagem (formato, dimensões, material de fabricação) de acordo com as suas necessidades para o produto.

Os modelos lisos são facilmente encontrados em distribuidoras e tem como vantagem o custo mais baixo. Porém, para personalizá-la será necessário investir em adesivos, etiquetas e outros tipos de materiais gráficos que podem representar um custo próximo ao de uma embalagem customizada, projetada e fabricada especialmente para as características do seu produto.

Aplicação da Identidade Visual

Inserir logotipo, informações de contato e a tabela nutricional no rótulo são itens básicos para uma embalagem de alimentos. Dessa forma, a identidade visual, ou seja, o conjunto de elementos que dão a cara da sua marca ao produto, são essenciais e devem estar também na embalagem para marmitex.

É importante dar atenção ao material da embalagem e a área disponível para que a aplicação desses elementos seja legível. Muitas vezes, a solução ideal é criar uma espécie de lacre que pode ser em forma de adesivo ou alças que envolvem a marmitex.

Formato e dimensão da embalagem

Para cada tipo de alimento, será necessário um formato de marmitex. Sanduíches e pratos, geralmente, exigem divisórias internas e tamanhos adequados (nem grande demais, nem minúscula) para evitar que sofram com o impacto durante o transporte. A quantidade de divisões e a dimensão ou tamanho da embalagem vai depender do volume de alimento fornecido e se acompanham talheres e guardanapos, por exemplo.

A facilidade no manuseio e armazenamento, tanto do fornecedor quanto do consumidor final, também precisa ser considerada para que praticidade e utilidade não sejam prejudicadas.

Material de fabricação

A manutenção da temperatura dos alimentos está diretamente ligada ao tipo de material escolhido para sua marmitex. O alumínio, muito comum em quentinhas, geralmente fechado com tampas de papel, possui bom isolamento térmico e permite que os alimentos sejam resfriados ou levados ao forno posteriormente. Já o isopor, outro material comum para hambúrgueres e doces, também ajuda a conservar a temperatura, porém trata-se de uma material pouco sustentável.

O papelão, por sua vez, é um material versátil e que permite diversos tipos de recorte, formatos e aplicações da identidade visual da sua marca. Além disso, apresenta resistência aos impactos durante o transporte e é facilmente reciclável após o uso.

Ao optar por marmitex em plástico, mais resistentes a baixas temperaturas como no caso de alimentos congelados, atente-se para que o material seja em polipropileno, apropriado para essa finalidade. Leia nosso artigo com dicas sobre quais cuidados você deve ter na escolha de embalagens personalizadas para alimentos.

Como garantir a segurança alimentar através das embalagens?

Como garantir a segurança alimentar através das embalagens?

Quem está no ramo de alimentação tem preocupações muito específicas quanto às embalagens para seus produtos. Bebidas e alimentos que serão comercializados, mesmo que artesanalmente, precisam atender às regulamentações de segurança alimentar, o que passa diretamente pelas embalagens.

É comum que produtores e empreendedores dessa área tenham dúvidas sobre embalagens para alimentos desde quando concebe uma ideia de produto. Como a segurança alimentar deve estar sempre em mente, preparamos este artigo para apontar os principais pontos de atenção para garantir esse objetivo com as embalagens personalizadas para suas bebidas, doces, industrializados, cafés e tudo mais.

Afinal, uma embalagem tem funções reais além de ser apenas uma apresentação bonita (que não é menos importante).

O que é segurança alimentar?

Este conceito tem origem contemporânea, a Primeira Guerra Mundial, período em que os alimentos passaram a ser produzidos em maior escala e também entregues dentro de embalagens mais duradouras. Muitas doenças explodiram relacionadas a alimentação, mais especificamente ao estado de conservação e proteção dos produtos, a exemplo do botulismo, salmonelose, viroses e afins.

Felizmente estes casos estão controlados, o que não diminui a necessidade de investir cada vez mais na segurança de alimentos e bebidas de todo tipo. A segurança alimentar é uma das preocupações da Anvisa, a agência de vigilância sanitária. Este é o órgão que orienta as regulamentações e obrigatoriedades para rótulos e embalagens de alimentos.

Cabe ao empreendedor buscar todos os cuidados específicos ao seu produto, encaminhando e alinhando essas informações junto a empresa que fará o design de embalagens.

Saiba agora como garantir a segurança alimentar através das embalagens adequadas.

Informação Nutricional

É um elemento obrigatório para todo tipo de alimento ou bebida industrializado. É um quadro, também chamado por tabela nutricional, que lista calorias, vitaminas, gorduras, sais e outros elementos presentes no produto. Estas informações devem ser listadas como uma forma de aviso para pessoas que estão preocupadas com influências na saúde a partir, por exemplo, da quantidade de gorduras, de sódio, etc.

Faça a diagramação da embalagem deixando a tabela legível e em local apropriado. Outro elemento obrigatório e diretamente relacionado é a lista de ingredientes, igualmente legível.

Indicação de Alergênicos

Essa é uma resolução recente da Anvisa, voltada para atender as demandas dos próprios consumidores sobre anúncios mais claros quanto aos ingredientes alergênicos. Pode reparar que agora as embalagens vem com um aviso extra sobre a presença de ingredientes específicos no produto, a exemplo de ovos, soja, glúten, lactose, castanhas, cacau e outros.

Materiais adequados

Este é o ponto específico à fabricação das embalagens para alimentos. Diferentes produtos pedem diferentes tipos de embalagem, logo os materiais disponíveis estão alinhados a essas necessidades. Algumas opções versáteis são o plástico, seja nas garrafas PET ou nas embalagens em formato de saco, o isopor, o papel e papelão, o vidro e o metal. Cada material exige cuidados específicos quanto a apresentação, conservação, logística, etc.

A embalagem pode ser impressa já com a comunicação e design próprios do produto, como acontece com plásticos e papel, ou então receber um rótulo plástico ou adesivo. Veja alguns exemplos de embalagens para alimentos em nosso portfólio.

5 tipos de embalagens para congelados

5 tipos de embalagens para congelados

O formato de alimentos congelados veio para cumprir com uma necessidade e se mostrou também como uma opção prática para diversos produtos. O ponto de preocupação, pelo menos por parte das empresas do setor, é em entregar alimentos seguros em boas embalagens, seguras e ainda atrativas. As embalagens para congelados estão disponíveis em diversos materiais, acessíveis para as empresas e também para os fabricantes artesanais de marmitas, salgados e afins.

Lembrando sempre que as embalagens têm as funções de proteger o alimento e conservá-lo, os materiais devem estar alinhados aos conceitos de segurança alimentar e também a toda a experiência de compra e consumo por parte do público.

Conheça, nos próximos tópicos, 5 tipos de embalagens para alimentos congelados.

Embalagem com tampa

A embalagem plástica com tampa é uma das opções mais procuradas pelos pequenos empreendedores e quem vende marmitas ou refeições caseiras, justamente por ser mais estruturada e dar um bom suporte a qualquer tipo de produto. O plástico, no caso, está disponível em diferentes composições o que muda sua maleabilidade, transparência e outras questões.

Sempre que for optar por esse tipo de embalagem para congelados, considere também a apresentação que será aplicada através de rótulos adesivos. Atente também para indicar instruções de uso caso a embalagem possa ser levada ao microondas, temperaturas que suporta, etc.

Saco plástico (polietileno)

É uma outra opção de utilização do plástico, disponível em diferentes tamanhos e elementos diferenciais, a exemplo das formas de personalização e impressão, os fechos de tipo zíper, etc. Especificamente, o tipo de plástico polietileno pode ser manipulado em diferentes “flexibilidades”, o que produz diferentes tipos de material para embalagens e outras finalidades.

A embalagem em saco para congelados é muito utilizada para legumes, carnes, frutos do mar, industrializados e outros.

Papel cartão

Esse tipo de embalagem é feito com um tipo de papelão, mais fino em formato de folha. A embalagem cartonada é geralmente utilizada em caixas, como as de refeições congeladas, sendo uma opção fácil de ser personalizada e com maior facilidade de logística e armazenagem.

É importante observar que a umidade do congelador pode danificar as embalagens e suas informações, o que pode não ser interessante para produtos com durabilidade muito longa. Quase sempre essa opção deve ser complementada com uma embalagem plástica, seja como uma película externa ou como um saco de proteção dos alimentos.

Embalagem em alumínio

Esta é a opção de embalagem revestida em alumínio, que existe em diferentes formatos e peças, a exemplo dos sacos plásticos, pratos plásticos, bandejas e afins. É outra opção acessível aos produtores artesanais, principalmente para quem quer entregar refeições congeladas.

Isopor

Talvez seja a opção mais relacionada a proteção térmica de produtos variados, incluindo alimentos. O isopor deve ser utilizado em suas composições recicláveis, ajudando no descarte, e com atenção a resistência e outras funções das embalagens de alimentos. As embalagens em isopor são muito utilizadas para carnes, doces cremosos, frios, alguns industrializados e outros produtos.

Se você quer ver alguns exemplos de embalagens para congelados e outros alimentos, conheça o portfólio da BST! com todos nossos trabalhos de design de embalagens.

O que são embalagens flexíveis e porque utilizá-las?

O que são embalagens flexíveis e porque utilizá-las?

Inovadora, atraente e funcional são apenas algumas das características essenciais de embalagens para alimentos se destacarem no ponto de venda e seja adquirido pelo consumidor.

Ao escolher o tipo de embalagem ideal, deve-se levar em consideração o material de fabricação, quais as necessidades de armazenamento em prateleiras, acondicionamento para transporte e manipulação do consumidor, além da aplicação da marca e informações técnicas no rótulo.

Nesses pontos, as embalagens flexíveis apresentam grande versatilidade para diversos tipos de produtos. Conheça as vantagens de utilizá-las em seus produtos.

O que são embalagens flexíveis?

Como próprio nome já diz, a definição de embalagem flexível é a sua capacidade de se adaptar ao formato do produto e garantir condições de segurança como proteção de luz e outros agentes externos no transporte, além da otimização de armazenamento.

Até a década de 1960, o plástico celofane era o principal material utilizado para fabricação de embalagens flexíveis e, hoje, a indústria oferece uma diversidade de filmes plásticos que permitem a impressão da identidade visual em rótulos.

O principal método utilizado é a flexografia, uma espécie de carimbo que utiliza uma chapa em relevo emborrachado chamado clichê. Esse tipo de impressão tem como principais características a qualidade, o baixo custo e a alta tiragem, ou seja, a possibilidade de se produzir quantidades maiores.

Quanto a resistência, a união de dois tipos de filmes flexíveis na fabricação fará toda a diferença para o armazenamento e envase do produto, já que um destes estará em contato direto com ele.

Vantagens das embalagens flexíveis

A versatilidade é a principal delas, já que uma infinidade de produtos alimentícios, de higiene, cosméticos, medicamentos e rações podem ser visualizados, carregados, armazenados, abertos e consumidos facilmente.

No caso de embalagens flexíveis para alimentos é a maleabilidade, ou seja, a capacidade de acondicionamento do conteúdo, já que ela se adapta ao estado físico do produto, seja ele líquido ou sólido.

A segurança alimentar é outro ponto fundamental que é coberto, pois esse tipo de embalagem possibilita isolar o produto de umidade, calor, luz, bactérias e outras formas de contaminação. O uso de zíper e válvulas de segurança, por exemplo, contribui para maior segurança ao acessar o conteúdo pelo sistema “abre e fecha” da embalagem e também reduzindo desperdícios.

Pensando no design de embalagem, as possibilidades para criação de layouts inovadores e aplicação da marca, seja impressa diretamente ou com um rótulo adesivo, por exemplo.

Tipos de embalagens flexíveis

• Laminadas – combina camadas de filmes. O plástico externo, por exemplo, tem maior diversidade de cores e metálico interno, em contato com o produto, auxilia na proteção.
• Fosca – outra possibilidade de revestimento externo com acabamento opaco.
• Transparente – pode ser utilizada combinada para armazenar o produto dentro de caixas, latas e etc e possibilita a visualização do conteúdo.
• Metalizada – comum para alimentos que não podem entrar em contato com a luz, garantindo suas características originais e melhor prazo de validade
• Microperfurada – utilizada para manter alimentos frescos por mais tempo, como legumes, hortaliças e pães.

Gostou dessas opções? Para te ajudar na sua escolha, saiba como garantir a segurança alimentar através das embalagens.

O que são embalagens sustentáveis?

O que são embalagens sustentáveis?

Cada vez mais preocupado com a origem e procedência dos produtos, o consumidor tem dado preferência a sustentabilidade na sua decisão de compra.

Tanto a qualidade do produto, os materiais de fabricação, quanto as formas de reuso e impactos do descarte de embalagens são características cada vez mais em foco na hora de levar um produto para casa.

Embalagens sustentáveis representam uma das soluções viáveis para redução do impacto ambiental, refletindo o posicionamento e agregando valor às marcas.

O que são embalagens sustentáveis?

Embalagens são essenciais para o transporte, proteção, preservação, segurança, consumo de produtos e reconhecimento da marca pelo público. Como alternativa aos materiais com maior tempo de degradação, principalmente o plástico, a embalagem sustentável pode ser fabricada com materiais biodegradáveis (orgânicos) ou recicláveis e está relacionada ao ciclo de vida no ambiente.

O principal impacto no ambiente está relacionado ao descarte final após o consumo: estima-se que cerca de 80% são colocadas no lixo. Pensando nesse ciclo, temos como alternativa os materiais recicláveis, fabricadas com materiais que podem ser reutilizados e se tornar embalagens recicladas.

O alumínio e o vidro são exemplos de materiais para embalagens que podem ser reciclados muitas vezes. Entretanto, a logística e os custos dificultam esse processo. Opções como o plástico PLA e Polietileno Verde (Plástico Verde) surgiram para reduzir os impactos.

Existem, ainda, os materiais orgânicos como a fibra de coco, fécula de mandioca, bagaço de cana de açúcar, papel semente, por exemplo, capazes de cumprir todos os requisitos necessários da embalagem e serem facilmente absorvidos pelo meio ambiente.

Porque investir?

Ao lançar um novo produto ou reformular uma marca, a inovação deve caminhar lado a lado com a identidade da empresa. A preocupação global quanto a sustentabilidade e a responsabilidade das ações de cada indivíduo, tem modificado os hábitos de consumo.

Aliada à consciência ambiental, as embalagens sustentáveis podem criar uma nova experiência do consumidor com a marca, independente do nicho de mercado ou tipo de produto.

Trata-se de um posicionamento importante para marcas que desejam engajar a valorização da atitude eco friendly ou amigável ao meio ambiente. O retorno sobre o investimento é palpável à medida que os próprios consumidores reconhecem o posicionamento e responsabilidade da marca.

Não faltam soluções inovadoras para embalagens sustentáveis para alimentos que utilizam materiais biodegradáveis e sustentáveis, além da possibilidade de reuso e aproveitamento para outros fins.

Quais são os principais tipos?

Na hora de decidir entre qual tipo de material utilizar ou o formato ideal para fabricar embalagens sustentáveis, vale a pena investir em algumas opções disponíveis no mercado. Algumas delas são:

• Utilitárias – são todas as embalagens que podem ser reaproveitadas para outros fins, sejam eles decorativos, utensílios domésticos ou transporte de outros produtos.
• Biodegradáveis – fabricadas a partir de materiais de fácil decomposição na natureza como fibras orgânicas.
• Recicláveis – bem conhecidas do consumidor, o material de fabricação permite a reutilização no processo de reciclagem, dando origem a uma nova embalagem.

Outro ponto importante quando o assunto é embalagens para alimentos é a proteção das condições de higiene dos produtos. Saiba como garantir a segurança alimentar através das embalagens.