5 materiais gráficos para Assessoria de Imprensa

5 materiais gráficos para Assessoria de Imprensa

A assessoria de imprensa no ambiente corporativo tem papel estratégico e fundamental para manutenção da reputação e imagem de uma empresa.

A rotina de trabalho envolve atendimentos a veículos de comunicação, organização de publicações e apresentação de relatórios de resultados para ações que visam promover a marca e valores da empresa através da comunicação institucional, destacando-se não apenas pelo conteúdo, mas também pela apresentação visual.

Mesmo com algumas transformações tecnológicas que modificaram alguns procedimentos de funcionamento das assessorias, alguns materiais continuam servindo de apoio para o sucesso da divulgação de um conteúdo.

Conheça 5 exemplos de materiais gráficos para assessoria de imprensa que são essenciais para o trabalho de assessores.

Press Release

O press release é a principal ferramenta para divulgação das informações de uma empresa para jornalistas e demais influenciadores de opinião.

Trata-se de um texto enviado à veículos de comunicação que serve para anunciar novidades, lançamentos de produtos e reposicionamento de marcas, por exemplo.

Quando utilizado de forma correta, e direcionado para conquista da atenção do destinatário, o press release pode render pautas que se tornam publicidade gratuita para a empresa.

Além do conteúdo escrito, a personalização realizada através do design pode criar formatos inovadores e criativos para apresentação do conteúdo.

Clipping

Toda vez que uma marca ou empresa é mencionada em alguma mídia, assessores de imprensa reúnem as publicações em um clipping.

A clipagem fornecem informações preciosas para análises qualitativa e quantitativa do conteúdo publicado e permitem estabelecer métricas para apresentação de resultados, pesquisas de mercado e dados sobre o público alvo.

Geralmente apresentado a gestores em formato de relatório, é preciso fazer com que as pessoas se interesse pela leitura os dados sejam facilmente compreendidos.

Por isso, é preciso pensar o design desse tipo de material gráfico para assessoria de imprensa a fim de prender a atenção e demonstrar organização e coerência nas análises apresentadas em formato de gráficos e infográficos, tabelas e demais elementos visuais.

Crachás

Além de identificar a equipe para os demais setores da empresa, os crachás para assessoria de imprensa podem auxiliar quando a empresa recebe visitante ou organiza coletivas para imprensa.

Desta forma, a identificação de veículos e profissionais durante o credenciamento em eventos, por exemplo, garante o acesso a ambientes privilegiados e facilita a vida de assessores.

Publicações internas

As publicações de comunicação interna fazem parte das estratégias de endomarketing e criação de valor interno para empresa.

Jornais informativos e revistas institucionais são excelentes formas de divulgação, também para o público externo formado por consumidores, parceiros e sociedade em geral.

Desta forma, o design editorial tem grande relevância e deve ser trabalhado de acordo com a identidade visual da empresa.

Press kit

Os kits para imprensa ou press kits, são compostos por outros materiais gráficos como catálogos, cartões de visita, embalagens, publicações internas e etc.

Seu objetivo principal é fornecer um pacote que pode ser acompanhados por brindes personalizados e amostras de produtos para veículos e influenciadores.

Como todo material de divulgação, ele deve ser planejado para garantir que os valores da empresa estejam presentes em cada detalhe e transmitam as mensagens e valores da empresa.

Como você pode perceber, além dos cuidados na produção de conteúdos,aparência e a qualidade do design na criação de materiais gráficos para assessoria de imprensa são fundamentais para que a comunicação seja completa e efetiva.

Nós da BST Design temos soluções criativas para a criação de materiais gráficos e comunicação visual de empresas de todos os portes. Convidamos você a conhecer o nosso portfólio e saber como ajudamos nossos clientes a se comunicar com o mercado.

5 ideias de modelo de cartão de visita

5 ideias de modelo de cartão de visita

Causar uma boa impressão desde o primeiro momento e ser lembrado: esses são os principais objetivos para quem deseja conquistar a atenção e demonstrar profissionalismo através de um cartão de visitas.

Nesse sentido, a criatividade se torna um dos pontos principais. São diversas possibilidade de aplicação em alto ou baixo relevo, gramaturas de papel e cortes diferenciados que podem ser escolhidos para criação de um modelo de cartão de visita e combinadas entre si.

Para te ajudar nessa escolha, separamos 5 ideias criativas de modelo de cartão de visita. Confira!

Cartão de visita com aplicações

O acabamento de um cartão de visita deve ser tão bem pensado como a forma com que é disposto o layout das informações.

Sobre a impressão, é possível realizar aplicações em camadas de verniz total, que protegem o papel e criam um visual de brilho. Já o verniz localizado confere destaque a detalhes como o nome da empresa e/ou seu logotipo, por exemplo, ou a alguma frase que descreva seu serviço

Existe ainda laminação brilho que confere ao cartão brilho em ambas as faces e tem custo um pouco inferior ao verniz e a laminação fosca que confere aspecto aveludado ao impresso. Este tipo de aplicação garante ao cartão resistência contra marcas de dobras.

Cartão de visita com corte especial

Os cortes especiais são outra maneira de criar diferencial para um modelo de cartão de visita. Desde arredondar as extremidades até criar formatos inovadores com pontilhados para destaque, furos e cartões pop up em formato 3D.

O custo pode ser mais alto pela complexidade do processo de fabricação de um cartão de visita com corte especial, pela necessidade de uma faca de corte específica para dar forma ao ao design planejado

Cartão de visita lúdico

Outra forma de criar um modelo de cartão de visita é transformá-lo em um objeto lúdico. A internet está repleta de referências de imagens com cartões criativos com formatos que interagem com a profissão ou tipo de empresa.

Para fotógrafos e profissionais de audiovisual, cartões em formato de polaroids e telas de câmeras impressos em PVC, por exemplo.

É possível ainda, criar cartões de visita com QR code lidos por câmeras de celulares e que direcionam para um site, transformando-os em objetos interativos.

Cartão de visita sustentável

Para que o cartão de visita seja durável, a escolha do papel também deve ser pensada para que ele tenha rigidez, sendo a gramatura indicada a partir de 200g/m² e o material mais utilizado o papel couchê. E que tal inovar também no tipo de papel?

Os cartões de visita ecológicos ou sustentáveis podem ser impressos em folhas de papel reciclado ou papel plantável (papel semente), que é fabricado com sementes que podem ser plantadas e germinar, uma ideia para floriculturas e profissionais de paisagismo e jardinagem, por exemplo.

Cartão de visita com relevo

A aplicação de relevo também pode transformar um modelo de cartão de visita em algo exclusivo. O alto relevo e baixo relevo criam uma textura sensível ao toque que pode ser explorado na tipografia do cartão de visitas.

Outra forma é utilizar a aplicação em hot stamping, possibilitando a criação de aplicações em baixo relevo com fitas metalizadas destacando a tipografia ou detalhes do logotipo da empresa.

Muitas possibilidades de modelo de cartão de visita, não é mesmo? Para facilitar na escolha, você pode contar com a ajuda de um profissional. Descubra quem contratar: agência de design ou freelancer?

4 materiais gráficos para microempreendedor individual

4 materiais gráficos para microempreendedor individual

Ser um microempreendedor individual tem suas dificuldades iniciais e ao longo do crescimento da empresa, sendo a conquista de clientes e a questão da divulgação alguns dos desafios mais comuns, principalmente ao começar a empreitada.

Uma boa opção são os materiais gráficos para microempreendedor, que devem ser construídos por designers para aproveitar o máximo que eles podem oferecer. Esses materiais são peças de divulgação e apresentação, impressos em quantidades variadas, com o objetivo de serem distribuídos a públicos estratégicos.

Esse tipo de peça exige a aplicação da identidade visual para aumentar sua eficácia na divulgação e na fixação da marca.

Conheça agora 4 opções de materiais gráficos para microempreendedores.

Cartão de visita

Indispensável para qualquer profissional, principalmente os que trabalham como MEI. É o cartão de visita que apresenta a sua marca para possíveis clientes, fornecedores, parceiros ou investidores.

Além de usar a identidade visual, é importante aplicar ali informações básicas de contato como e-mail, telefones, site, endereço, etc. Se o MEI trabalha com atendimento ou ponto de venda, também pode ser interessante colocar os horários de funcionamento no cartão.

Entre os materiais gráficos para microempreendedor, este é o que exige um maior cuidado quanto à impressão, escolhendo um bom material e uma boa gráfica. A revisão é outro ponto essencial, já que cartões com erros de digitação, gramática ou com informações incorretas pode prejudicar muito a imagem da sua empresa.

Catálogo

Essa peça não precisa ser feita em grandes quantidades, afinal é um material para divulgação entre os clientes e no ponto de venda, se existir. Pode ser um portfólio de serviços já prestados, um catálogo de produtos para encomenda ou uma espécie de cardápio, para aqueles que trabalham com serviços culinários.

É interessante fazer esse material com espaços para atualização, para não deixar seu trabalho com cara de datado. E lembrando sempre de incluir a identidade visual do microempreendedor ali.

Materiais de divulgação

Aqui estariam inclusos as peças de divulgação em geral, como banners, folders e flyers. Esses materiais são importantes para a sedimentação de uma marca. Caso não haja verba no momento do lançamento de um produto, por exemplo, eles devem estar no radar do empreendedor para que sejam desenvolvidos assim que possível.

Esse tipo de material gráfico exige, além da identidade visual que você já sabe, um cuidado com a diagramação das informações e fotos da peça. Fazer uma boa impressão desses materiais também ajuda bastante a marca a ter uma imagem mais confiável e profissional.

Mídia Kit

O mídia kit é interessante para microempreendedores que trabalham com comunicação, artes, eventos e outras áreas relacionadas. O mídia kit é um documento, como uma espécie de pasta e que também pode ser digital, onde a marca se apresenta para possíveis anunciantes, parceiros ou investidores.

Pode ser feito também por quem desenvolve ou trabalha com serviços online, apresentando o alcance dos seus sites e definindo espaços a venda para anúncios. É através do mídia kit que empreendedores parceiros podem combinar a melhor forma de dividir conteúdos de divulgação.

Agora que você conheceu os materiais gráficos para microempreendedor, já percebeu como a identidade visual é importante para seu negócio, não?

Baixe o nosso e-book Manual de Identidade Visual: saiba tudo o que ele faz pela sua marca para se aprofundar no tema.

5 materiais gráficos para eventos corporativos

5 materiais gráficos para eventos corporativos

A comunicação é um fator essencial quando o assunto são os eventos corporativos. Feiras, congressos, fóruns, simpósios e outros tipos de eventos que envolvem o mundo dos negócios promovem a interação entre o público e precisam de uma produção que esteja alinhada com esse propósito.

Desde o planejamento até a execução de um evento corporativo, é necessário que todos os detalhes estejam descritos e organizados para garantir que todos os participantes se orientem durante o evento.

Além disso, esse é um momento onde o marketing promocional entra em ação, com a divulgação da marca da empresa, seja ela participante ou promotora do evento.

Descubra agora os 5 materiais gráficos para eventos corporativos que não podem faltar no seu checklist.

Crachá

Para garantir que todos os participantes estejam identificados durante um evento a utilização de crachás como materiais gráficos para eventos se faz essencial, uma porque garante a segurança no espaço e outra porque facilita a interação entre as pessoas. Além do nome do participante, é um ótimo espaço para promover a marca do evento ou da empresa.

Os crachás podem ser impressos na hora ou feitos para receber adesivação. Os materiais mais comuns são o papel rígido e o PVC, geralmente no tamanho A6 (10,5 x 14,8 cm) e A7 (7,4 x 10,5 cm). Mas vale investir na criatividade, pensando sempre na legibilidade das informações.

Folders e Panfletos

Outro item que deve estar presente no checklist de um evento corporativo são os materiais de divulgação e orientação, como folders, flyers e panfletos, que servem para guiar os convidados e garantir que estes se localizem no espaço e na programação do evento.

O formato vai depender do objetivo do material e qual a necessidade do evento. Panfletos com a programação podem ter várias dobras e conter mapas de localização, pois esse tipo de material permite uma quantidade maior de informações.

Já folders e flyers podem ser produzidos para distribuição anterior, na divulgação do evento, por exemplo, ou até mesmo nos estandes das empresas participantes.

Backdrop

A utilização de backdrops com a programação ou um mapa com a localização de estandes e auditórios, por exemplo, também pode ser bastante útil na orientação dos participantes.

Os backdrops geralmente são estruturas modulares em madeira com material serigrafado ou impresso em vinil e que podem ser instalados em espaços de circulação do público ou na entrada do local do evento.

Isso faz com que tenha a funcionalidade de divulgação das marcas de patrocinadores e do logotipo do evento. Podendo, também, ser utilizado para fotos para lembranças dos participantes.

Sacolas personalizadas

Lembra que falamos no começo deste artigo sobre o marketing promocional? Utilizar sacolas personalizadas em um evento corporativo é uma ótima estratégia para promover sua marca, assim como outros brindes personalizados, seja para presentear os participantes no geral ou visitantes do estande da sua empresa.

O material pode ser tecido, plástico ou até mesmo papel e a marca pode ser impressa ou adesivada, garantindo a versatilidade e permitindo o uso em outros momentos, sendo essa uma das vantagens desse tipo de brinde, além do espaço disponível para a aplicação da marca.

Blocos de notas personalizado

Apesar dos celulares, notebooks e tablets estarem sempre presentes neste tipo de evento, os blocos para anotações são materiais gráficos para eventos que também devem entrar no check list de um evento corporativo.

Isso porque eles podem ser úteis para alguma anotação rápida e têm um custo relativamente baixo. E, além disso, assim como as sacolas personalizadas, os blocos de notas podem ser oferecidos como brindes, fabricados em materiais reciclados e são uma boa maneira de fazer com que a sua marca seja lembrada.

Seja qual for a sua escolha, para ter materiais gráficos de qualidade no seu evento corporativo, convidamos você a conhecer os materiais promocionais produzidos pela BST Design.

Por que fazer embalagens personalizadas para alimentos?

Por que fazer embalagens personalizadas para alimentos?

Criar embalagens personalizadas para alimentos é, além de uma questão logística e de conservação do produto, uma estratégia de divulgação e atração. O processo de criação de uma embalagem exige pesquisa, criação de uma identidade visual, testes e outros passos.

Além do design, as embalagens de alimentos devem ser funcionais e informativas, respeitando recomendações da Anvisa e outros órgãos para fazer uma embalagem segura e com a correta disposição de informações como ingredientes, tabela nutricional, avisos de alergênicos, etc.

Esse processo não pode ser ignorado, até porque embalagens bem feitas são ponto diferencial em um produto e ajudam a aumentar suas vendas.

Entenda agora os principais motivos para fazer embalagens personalizadas para alimentos.

Apresentação do produto

Imagine que, disposta no ponto de venda em meio a outras opções, uma embalagem é também um cartão de visitas, sendo responsável pela primeira impressão sobre o produto. Ela é uma representação da marca e também do próprio produto – uma vez que uma empresa pode ter várias linhas, cada qual com sua identidade visual.

Por esse motivo, as embalagens devem ser atrativas e funcionais. Ainda nesse tópico de apresentação de um produto, deve se considerar a capacidade de proteção e conservação que a embalagem oferece, passando pelo seu transporte e armazenamento.

Fazer uma embalagem errada acarreta em desperdício do produto e de dinheiro, levando até à rejeição por parte dos clientes.

Destaque da concorrência

Como apresentado no tópico anterior, a embalagem é a primeira impressão que o cliente terá sobre seu produto e sua empresa. Esse detalhe é importante para criar uma embalagem que se destaque, já que na maioria dos pontos de venda o seu produto estará lado a lado com os seus concorrentes.

Embalagens personalizadas para alimentos podem utilizar diferentes elementos de design para fazer esse destaque: cores, padrões gráficos, ilustrações, textos e a própria identidade visual, com um logotipo instigante e representativo do produto.

Apesar da ideia central ser “chamar a atenção”, a apresentação da embalagem deve ser agradável, sem abusar de uma grande combinação de cores e tons vibrantes, observando também a disposição de avisos obrigatórios.

Fidelização de clientes

Uma embalagem atrativa, visualmente e funcionalmente, ajuda a manter a lembrança da marca entre os clientes. Essa etapa de relacionamento em que o cliente já tem uma preferência de produto ou de fabricante é alcançada através da fidelização.

Uma forma de fidelizar os clientes através da personalização é criar uma variedade de embalagens com informações diferentes, quase como colecionáveis – a exemplo dos alimentos que trazem diferentes receitas em seus rótulos.

Apostar em materiais de qualidade e reutilizáveis também aumenta o carinho do público pelo produto.

Valor agregado

Entregar uma boa embalagem ajuda a aumentar o valor percebido pelos clientes. Isso significa a noção de valor que um comprador enxerga em um produto diferenciado, exclusivo, mais atrativo ou até mesmo de maior qualidade. Na visão do cliente, esses são fatores que justificam um preço de venda mais alto.

Uma embalagem mais segura e durável, por exemplo, tem mais valor do que uma descartável. Diretamente, há a possibilidade que a empresa aumente o valor final de seus produtos.

As embalagens personalizadas para alimentos devem ser estudadas quanto a seu material e design, pontos que afetam todos os itens levantados neste texto.

E para que seu produto se destaque no ponto de venda, conheça também 4 itens do design de embalagem.

Diagramação: 4 pontos de destaque em materiais gráficos

Diagramação: 4 pontos de destaque em materiais gráficos

Materiais gráficos aparecem em diferentes formatos nas estratégias de comunicação: revistas, murais, folheteria, peças de divulgação como banners e adesivos, etc. Todos tem um ponto em comum: a diagramação.

Diagramar começa com a elaboração de um layout ou grid especificando como as informações estarão dispostas no material impresso, separando blocos de texto e especificando proporções de imagens e outros elementos.

Essa organização das informações em uma página deve seguir uma hierarquia: o que é mais importante tem um maior destaque, em tamanho, arte ou uso de cores. Devemos seguir uma hierarquia visual, ou um sentido de leitura, que vai nos dar a sequência de importância desejada na leitura.

É necessário planejar bem a diagramação de materiais gráficos já que eles são um investimento da empresa em comunicação.

Conheça 4 pontos para priorizar nos materiais gráficos.

Texto

Mesmo que cada tipo de material gráfico tenha uma função diferente, eles raramente dispensam a presença do texto. O segredo na diagramação dessas peças é, como comentado, a hierarquização de informações.

O texto será disposto conforme sua função: é um título? Deve estar maior e em uma posição de destaque. São informações complementares? Use uma tipografia de fácil leitura e ainda discreta. Também considere subtítulos, legendas e outros formatos de texto.

Tipografia, aliás, é o tipo de fonte usada para um texto (ex.: Arial, Calibri, Times New Roman, etc). Dependendo da finalidade da peça, o designer ou diagramador pode brincar com a combinação de diferentes fontes e cores.

Pense sempre na melhor forma de atrair a atenção de um leitor e também garantir a legibilidade do material.

Ilustrações

Na forma de desenhos (manuais ou digitais), as ilustrações são muito usadas em revistas, murais de comunicação interna, banners e peças como cartão de visita e papel de carta.

Nem sempre terão tanta relevância quanto o texto, mas ajudam na atração do olhar e a prender a atenção do leitor. Podem ser informativas e complementares ao texto, como acontece no uso de infográficos e transmitem o estilo da marca..

Fotos

Atrativas e autoexplicativas, as fotos não só “puxam” o olhar como também instigam – basta pensar em como um folheto de pizzaria é muito mais interessante e convidativo ao usar belas imagens de seus produtos.

Fotos também são muito usadas em materiais gráficos institucionais, como as revistas e os banners de comunicação interna. É importante garantir a qualidade das imagens e aplicá-las em boas proporções, assim tudo fica mais nítido e a leitura flui melhor.

Quando conveniente, faça legendas para as fotos. Ou então, solte a criatividade: combine fotos e ilustrações em colagens, cuidando para entregar um material legível e agradável.

Box e outros elementos

Box ou caixa, como você deve imaginar, são blocos de textos a parte, delimitados por uma moldura. Não necessariamente tem formato quadrado ou retangular, e ainda podem ser usados para apresentar gráficos e outros dados.

Olho, na diagramação, é um texto destacado dentro de “aspas”, em fonte ou cor diferenciada. Quase sempre é uma citação de alguma opinião. Eles têm a função de dar um respiro entre grandes blocos de texto.

Um fio é uma linha que separa informações que, por algum motivo, poderiam se misturar e confundir a leitura.

Estes e outros elementos são interessantes não só para a leitura, mas também na questão do design por dar um espaço para aplicação de cor.

Lembre sempre de confiar esse trabalho a um designer ou profissional de comunicação qualificado, pois todos esses pontos devem ter bom gosto e acrescentar algo ao material – não adianta jogar de tudo em uma peça!

Como comentado aqui, a diagramação é de extrema importância para os veículo de comunicação interna. Saiba como trabalhar com eles em sua estratégia.

5 tipos de mockup para comunicação de identidade visual

5 tipos de mockup para comunicação de identidade visual

Quando falamos em mockup é importante lembrar que existem dois tipos principais: o mockup físico, que é a representação de um produto, construído em menor escala, para sugerir como ficará o resultado final, e o mockup digital. Um mockup digital é uma representação em imagem, normalmente produzida em um software de criação e edição, de algum produto ou material de comunicação.

O mockup na identidade visual tem a função de oferecer uma pré visualização das peças antes de sua produção.

Alguns tipos de mockup já podem ser elaborados para apresentação no Manual de Identidade Visual, servindo como padrão para os materiais gráficos essenciais.

Conheça agora 5 tipos de mockup para identidade visual e como você pode incluí-los em sua estratégia.

Cartão de visitas

O cartão de visitas é um material gráfico indispensável para qualquer empresa ou profissional. Eles são elaborados pelo designer, sempre aplicando a identidade visual, e representados no manual da marca em uma imagem simples (só suas duas faces) ou mais produzida, com suas duas faces aplicadas em uma foto específica para mockup.

Fazer a representação do cartão de visitas é uma etapa importante para observação e correção de possíveis erros, prevenindo gastos por erros na impressão e desperdício de material, já que podem ser encomendados em grandes quantidades.

O mockup de um cartão de visitas deve deixar bem especificado qual será o material e a proporção da peça, suas cores e se terá recortes ou aplicação de verniz.

Embalagens

É possível criar tipos de mockup de diferentes embalagens, considerando a rotulagem, o material e o formato final do produto. Fazer essa representação visual digitalmente pode ser complexo, mas é um ponto necessário e que nem se compara aos gastos da produção de uma peça.

Também deve considerar o material final e a aplicação de informações obrigatórias, o que acontece com os alimentos, por exemplo. Além do mockup, é possível fazer um protótipo da embalagem, uma versão “rascunho” para teste de cores, legibilidade, funcionalidade e outros pontos. Para uma embalagem, geralmente se faz um mockup digital ainda na fase de estudo e aprovação. Quando aprovado o conceito da embalagem, se desenvolve o seu protótipo, que normalmente é produzido com os materiais mais parecidos com os que serão usados na produção final. O mockup digital é, em geral, desenvolvido pelo designer que, estando o mockup aprovado pelo cliente, envolve a produção para desenvolver o protótipo.

Brindes

Se a empresa vai trabalhar com brindes para distribuição interna ou para clientes, seu design também pode ser previsto a partir de um mockup. O manual pode trazer representações de aplicação da identidade em bolsas, camisetas, chaveiros, canetas, calendários, adesivos, etc.

Papelaria

Itens de papelaria, também referidos como folheteria, são os materiais de uso interno e externo como envelopes, papel timbrado, etiquetas, folders, cadernos e até catálogos de uma companhia.

Algumas empresas não tem necessidade de produzir todos esses materiais gráficos, principalmente aquelas menores ou mais centradas no digital, mas eles são interessantes pela personalização e pelo profissionalismo passado.

Os mockups, nesse caso, servem para visualização da aplicação da marca e também como guia para as gráficas sobre como o produto deve ser entregue.

Site e peças digitais

O mockup também pode ser feito como representação ou visualização de meios digitais antes de seu lançamento definitivo, a exemplo de páginas de sites, blogs, peças de anúncios, posts em redes sociais, aplicativos e outros tantos mais.

Especificamente nessa situação, considerando o design de sites ou aplicativos, o mockup pode ser posterior ao wireframe: um rascunho dos itens dispostos na página sem grande fidelidade as imagens. Nesse caso, considerando o que deve ser definido no manual de marca, o mockup é mais eficaz.

Sabendo como fazer uso do mockup para identidade visual, não deixe de se aprofundar sobre a aplicação da marca em brindes corporativos.

Rótulos de alimentos: 4 itens do design de embalagens para aplicar

Rótulos de alimentos: 4 itens do design de embalagens para aplicar

Embalagens de alimentos precisam garantir que seu produto seja atrativo na prateleiras. E como fazer ele se destacar dentre as tantas opções disponíveis?

É preciso despertar emoções! O design de embalagens dedica-se a encontrar soluções criativas e que traduzam os valores da marca e conquistem o desejo do consumidor, além de garantir a qualidade dos alimentos, desde a sua fabricação até a entrega final ao clientes.

Todos os elementos gráficos são desenvolvidos buscando um resultado de impacto, criando uma embalagem que, além de durável e resistente, se destaque em um ponto de venda como exclusiva e atraente.

Quer saber como tornar seu produto mais atrativo? Descubra como aplicar o design de embalagens para criar rótulos de alimentos a seguir.

Identidade visual

Numa identidade visual para alimentos podemos ter 2 tipos de logotipos.

Existe o logotipo da empresa, fabricante ou distribuidora do produto, e o logotipo de produto. O logotipo da empresa nem sempre está presente na embalagem mas, se estiver, quando os dois logotipos precisam estar, ele deve vir menor e junto aos dados do fabricante.

O logotipo de produto é o elemento principal da comunicação visual de uma embalagem. Deve ter um destaque e deve ser capaz de transmitir os atributos do produto, e ‘conversar bem’ com seu público alvo.

Ex.: Existe o logotipo da empresa Unilever e logotipo do produto Dove, que é um produto da Unilever.

Há o caso em que o logotipo da empresa e o do produto são o mesmo.

Ex.: Existe a Coca Cola Company e os produtos Coca Cola. O mesmo logo é usado nos dois casos.

Aqui vamos falar do Logotipo de Produto.

O logotipo de produto é a forma gráfica que representa o nome de um produto ou linha de produtos. Ele deve, de imediato, marcar presença, traduzir os atributos do produto, e principalmente seduzir.

É o elemento central da comunicação visual de uma embalagem, expressa a sua marca e faz com que ela seja lembrada, pelas cores, tipografia e demais elementos visuais. Ele precisa estar em destaque no rótulo de alimentos para criar a identificação dos clientes.

O logotipo e elementos gráficos que compõem a comunicação visual de uma embalagem formam a identidade visual de um produto.

Ter uma identidade visual exclusiva, desenvolvida especialmente para sua marca, garante também que seu produto se destaque da concorrência pela criatividade e inovação.

A qualidade de um produto é valorizada ou depreciada conforme sua comunicação visual é apresentada a seu público.

Cores

Responsáveis por despertar emoções nos consumidores, as cores são outro elemento do design de embalagens aplicado na criação de rótulos para alimentos.

As cores estão entre os principais fatores de decisão de compra de um produto por 85% dos consumidores. Quando aplicadas de maneira correta, elas criam uma conexão emocional com o consumidor, inclusive de sabor, como explica a psicologia das cores.

Utilizar cores quentes como o vermelho e o laranja causam senso de urgência, estimulam o apetite. O verde e o branco traduzem frescor, higiene e alimentos com ingredientes naturais. O preto, roxo e azul, por serem cores que transmitem seriedade, podem ser aplicados em detalhes na composição de rótulo. Se forem bem aplicados podem, também, sugerir requinte.

Selos de certificação

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é responsável por regulamentar a rotulagem de alimentos e exige itens obrigatórios como a lista de ingredientes, tabela nutricional e selos sobre alergênicos, por exemplo.

Para ter rótulos de alimentos de destaque, podem ser incluídos selos de certificação que atestam a qualidade produto. Um exemplo são os selos de qualidade do café, que garantem a pureza, intensidade, sustentabilidade, fornecidos por entidades nacionais e internacionais. Outro exemplo são os selos de certificação para alimentos orgânicos, que atestam, por exemplo, o modo de produção e o não uso de agrotóxicos.

Além dos selos de certificação, outros elementos visuais como fotos e sugestões de receitas agregam valor ao design da sua embalagem de alimentos.

Formato e instruções

Os rótulos de alimentos podem ser desenvolvidos em diversos tipos de materiais como plásticos, adesivos, papel com recortes especiais e aplicados a embalagem ou serem impressos diretamente nela.

Independente do formato, é fundamental que os rótulos contenham instruções de como o consumidor deve abrir a embalagem (girar a tampa para esquerda ou direita, cortar o lacre, se são embalagens em zíper que podem ser reutilizadas) e armazenamento (temperatura, exposição ao sol e umidade). Além disso, é interessante indicar as formas e tempo de preparo.

Quanto mais claras e instrutivas forem as informações para o consumidor, maiores são as chances dele decidir pelo seu produto. Afinal, além de sabor e qualidade, a praticidade e conveniência também são essenciais quando o assunto é alimentação.

Viu como é fundamental aplicar itens do design de embalagens na criação de rótulos para alimentos atrativos? Nós da BST! Design criamos design de embalagens exclusivos e personalizados. Acesse o nosso portfólio e conheça os cases de sucesso.

Qual é o melhor material para embalagem de alimentos?

Qual é o melhor material para embalagem de alimentos?

Além de serem atrativas e informativas, as embalagens de alimentos precisam respeitar padrões de material e de segurança, pensando em questões de conservação, logística, transporte e apresentação dos produtos. Mas afinal, dentro dessas definições, qual seria melhor material para embalagem de alimentos?

Outro ponto de observação nesse quesito são as regulamentações da Anvisa e de outros órgãos, especificando os materiais que podem fazer essa função e garantir segurança dos alimentos.

Felizmente, a escolha de rótulos e embalagens não é limitada: além da variedade em materiais, é possível trabalhar uma boa personalização e comunicação através do design de embalagem.

Nos próximos tópicos, entenda a importância de escolher o melhor material para embalagem de alimentos.

O que é segurança de alimentos?

A segurança de alimentos é uma preocupação geral entre indústrias, comércio, restaurantes e até nas casas. Ela engloba os cuidados necessários para evitar a contaminação por agentes químicos ou biológicos, além da proteção contra fatores físicos – o que ainda evita o desperdício.

Com a Lei nº 9.782/1999, ficou definida a criação e obrigação da Anvisa, agência regulamentadora de vigilância sanitária, com a função de controlar e fiscalizar os alimentos e suas embalagens.

Para a agência, todo material que faz contato direto com alimentos ou bebidas (nacionais ou importados) deve estar dentro dos padrões da vigilância sanitária, já que substâncias presentes nessa embalagem podem migrar para o produto a ser consumido.

Conheça agora alguns dos materiais para embalagem liberados pelas definições da Anvisa.

Qual é o melhor material para embalagem de alimentos?

Além de respeitar os padrões de segurança de alimentos, as embalagens podem se utilizar de diferentes materiais e a escolha deles depende do produto oferecido e como ele deve ser preservado e apresentado ao consumidor final.

As embalagens podem, então, ser fabricadas nos seguintes materiais:

• Metal

O aço e o alumínio são os metais mais comuns para uso de embalagens para alimentos, sendo encontrados como as “latinhas” de bebidas e conservas. Esse material se destaca pela praticidade de transporte e durabilidade. Outro ponto é que o metal é facilmente reciclável.

A diferença do aço é a sua maior capacidade de proteção, similar à do vidro, que também forma uma barreira contra a luz. Com o alumínio, a proteção ainda existe porém é inferior, principalmente pela espessura e maior sensibilidade a impactos.

• Vidro

Com grande capacidade de proteção, o vidro é uma das opções mais antigas utilizadas para embalagem e armazenamento de alimentos. Também reciclável e reutilizável, o material é impermeável (quando bem vedado) e inerte, o que não altera o produto contido.

Para armazenar líquidos ou outros produtos sensíveis à luz, o ideal é usar um vidro escuro, entre marrom e esverdeado. Um problema com esse material é que, quando transportado ou manuseado incorretamente, é mais vulnerável a quebrar.

• Plásticos

Os materiais plásticos são versáteis e maleáveis, podendo adquirir a forma desejada pelo fabricante, sendo os preferidos para embalagens de alimentos diversos. Também são leves e podem ser reciclados ou reutilizados. Dois tipos de plástico são os mais usados para essa finalidade: o PET e o BOPP.

O PET é mais conhecido, por ser utilizado em garrafas, enquanto o BOPP também é popular por embalar doces e salgadinhos. Outro formato que aplica o plástico são os sachês individuais de molhos e condimentos. Como os sachês, existem também as embalagens flexíveis em formato de sacos, como um saco de feijão, ou em ‘stand up pouch’, aqueles saquinhos que ficam em pé nas prateleiras expositoras, muito usados em lançamento de produtos por trazer bastante visibilidade ao produto.

• Papel e papelão

Apesar de baratos e de fácil produção, os materiais celulósicos (definição da própria Anvisa) não ganham pontos no quesito proteção física, uma vez que eles amassam e rasgam com maior facilidade. Porém, são bastante utilizados para produtos não perecíveis ou como segunda embalagem, e tem o benefício da reciclagem. O papel e o papelão são muito usados em hortifrutis, em substituição aos caixotes de madeira, e como cartonagem, em embalagens promocionais para latinhas de cerveja, por exemplo.

• Isopor

Material leve, é destacado pela sua capacidade de isolamento térmico necessária para armazenar e transportar alimentos frescos. Por ser um tipo de plástico, não é decomposto na natureza, o que demanda um descarte correto e sua posterior reciclagem.

Agora que você sabe qual é o melhor material para embalagem de alimentos, saiba como aplicar o design nos rótulos dos produtos!

4 materiais gráficos para um press kit de sucesso

4 materiais gráficos para um press kit de sucesso

Press kits são essenciais em uma boa estratégia de divulgação de produtos, serviços e eventos, para conquistar formadores de opinião e veículos de imprensa.

Para chamar a atenção e conseguir espaço para publicação é preciso que esse material seja atrativo e não passe despercebido aos olhos de jornalistas e influenciadores digitais.

Investir em um design criativo é uma ótima maneira de ter uma apresentação visual impecável, além de um conteúdo que seja informativo e bem direcionado, de acordo com o tipo de público que deseja-se atingir.

Por isso, preparamos algumas dicas especiais para produção de materiais gráficos para press kits de sucesso. Confira:

Press release

O press release é o principal material presente em um press kit. O conteúdo segue um padrão jornalístico onde as informações básicas sobre o que está sendo enviado e a pessoa ou empresa que está enviando.

Mesmo tendo como foco o texto, a apresentação visual de um release conta muito. É interessante utilizar uma folha que contenha no mínimo, o timbre da empresa, com o logotipo e demais elementos da identidade visual. Para press releases impressos, vale muito a pena investir em recortes e dobras diferenciados.

Cartão de visita

O cartão de visita é um outro exemplo de materiais gráficos para press kit fundamental para comunicação eficiente.

Além de conter informações para contato com o assessor de imprensa ou relações públicas responsável pelo envio, o formato do cartão de visitas pode funcionar como uma tag para o press kit, como uma forma de rememorar a marca da empresa e criar um relacionamento com o veículo, jornalista, influenciador ou até mesmo parceiros e visitantes que também podem receber esse kit.

Catálogo

Outro tipo de material gráfico para press kit que pode ser desenvolvido tanto impresso quanto digital é o catálogo de produtos e serviços. Geralmente, os catálogos são utilizados como ferramentas úteis para vendas, onde a especificação das informações ajuda o cliente a escolher.

No caso de um catálogo para divulgação em press kit, a função é apresentar não apenas lançamento, mas o histórico da empresa e a variedade de produtos e serviços. Para produtos, é importante esclarecer ao máximo as informações técnicas, como disponibilidade de cores e materiais de fabricação. Já catálogos artísticos, por exemplo, apresentam um pouco da história do artista e outras obras produzidas.

Embalagem

A função de uma embalagem em um press kit é justamente conquistar quem recebe. Foque sempre na usabilidade e durabilidade para essa escolha e invista em um formato inovador e que seja, ao mesmo tempo, utilitário. Essa é uma excelente estratégia.

Além da função de transportar o seu kit de imprensa, a embalagem será o grande diferencial no momento do recebimento. Pense sempre numa apresentação visual que valorize o conteúdo através de um design especial e que mostre os valores da sua empresa.

3 dicas de design para press kit

Como você pode ter percebido até aqui, ter um bom design nos materiais gráficos para press kits é essencial e essas dicas vão te ajudar quando precisar escolher como fazer os seus.

  • Fique atento à adequação da identidade visual da sua marca, como a adequação do logotipo aos formatos de cada material para não ter distorções.
  • Cores promovem uma experiência visual que deve ser explorada no seu material gráfico, chamando atenção para o seu press kit.
  • A qualidade das fotos e imagens devem estar em alta resolução para serem utilizadas tanto em publicações digitais ou impressas.

Para ter um material gráfico de qualidade e um press kit de sucesso, convidamos você a conhecer os materiais promocionais produzidos pela BST Design.